Artigos

O líder deve respeitar para ser respeitado?

Uma vez li uma afirmação que reforçou o que pensava sobre liderança: "Lideres bem sucedidos são aprendizes". Essa constatação elucida que o processo de aprendizado dos lideres é constante e resultado de uma soma de competências, habilidades e comportamentos. Não basta ser exímio em tomar decisões, é necessário ser hábil também na forma estratégica de decidir. E mais ainda, mesmo sendo excelente "pensador" e "fazedor", o líder precisa ser hábil na forma como lida com pessoas e as desenvolve. O líder só chega lá com muita disciplina, perseverança e humildade. Humilhar e julgar as pessoas, está muito longe de ser um comportamento esperado para um líder. Todavia, sabemos que muitos se comportam assim, como deve-se agir com eles?

A liderança tem muitas facetas e respeitar as pessoas e tratá-las com polidez e educação é fator fundamental, mas quase inatingível para alguns. Muitos líderes acham que quando atingem o topo ou estão quase lá, passam a ser melhores ou superiores aos demais. Esquecem que já estiveram em outra posição e que tiveram que dar duro para aprender e conquistar o seu espaço.

A questão mais importante aqui é, se o líder tem claro quais são os valores e princípios que devem norteá-lo, quem não os tem, jamais será um bom líder. É fundamental que possamos viver em harmonia com eles, pois só assim podemos respeitar as pessoas como elas são e fazer delas pessoas melhores, o que aliás, é papel fundamental do líder. Acreditar no valor das pessoas é diretriz comprovada na conduta humana considerada eficaz. Ninguém trás bons resultados quando é desacreditado e o líder deve saber disso.

Analisem a afirmação: "Não se pode ter confiança sem ser confiável." Alguém confia num líder que aponta para o erro dos outros e não olha nem para o seu próprio umbigo? Alguém segue e respeita esse líder?

Eis aqui a premissa básica da liderança, "o líder existe para ser seguido e não para ser obedecido" e as atitudes e comportamentos observáveis do líder certamente vão implicar na sua permanência ou não no cargo. Segundo John C Maxwell: "as pessoas mais próximas do líder determinarão o nível de sucesso, ou o nível de fracasso desse líder". E é papel da equipe fazê-lo perceber que não está competindo com a equipe e encorajá-lo a valorizar as pessoas. Podem mostrar ao líder que uma organização não pode aumentar sua produtividade, mas pessoas podem. Os resultados só acontecem efetivamente se as pessoas forem bem aproveitadas, se o potencial de cada um for otimizado, se os talentos forem valorizados e encorajados. Enfim, se a sintonia entre equipe e líder for eficaz.

Uma interação positiva entre líder e equipe é possível, desde que todos estejam comprometidos e preocupados com relacionamentos benéficos. Se houver uma relação de confiança, atitudes positivas podem ser encorajadas, a responsabilidade pelas ações de cada um torna-se óbvia, iniciativa e pró atividade passam a fazer parte do dia a dia das pessoas e certamente todos ganham. Ganha a equipe e a área por atingir resultados e ganha o líder que estará em constante crescimento e amadurecimento. Todos se sentirão realizados e respeitados.

"As pessoas não se importam com o quanto você sabe ou conhece sobre cada assunto, até que saibam o quanto você se importa e se preocupa com elas."

Ana Artigas
Consultora e Coach de lideres

Telefone: +55 (41) 3343.2819
Email: [email protected]